domingo, 20 de agosto de 2017

GOSTAR NUM SUSSURRO


No meio da praça uma estrela
Por cima de ti minha perna
A torre da igreja observa
Entre eu e você uma fresta
Por onde o vento frio atravessa

Pra gostar num sussurro
E se tiver um susto
Eu saio no murro
Levanto e corro
Ou brado um urro pedindo socorro

Do homem dos dentes de lata
Espero da língua uma faca
-Revejo na mente os meus planos
Reconto nos dedos os meus anos-
E a mão trás das costas disfarça
E de supetão ele saca

Segura sem jeito uma lata
Na ânsia duma nota ingrata

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

RISO OU CHORO


O seu rosto parece o começo do barulho de um bebê
E eu não sei dizer se é riso ou choro
Eu não sei dizer se eu fico ou corro
Eu não sei dizer se eu vivo ou morro

Eu só sei falar de todas as coisas que eu não sei dizer
Até poder gritar tão alto 
Até poder calar o peito

E eu não sei dizer se é defeito ou se é perfeito
Se só vou descobrir deitado no meu leito de morte

Ou depois?

Eu só vou tentando a própria sorte
Que eu não sei se é acaso ou destino
E cruzando o tempo velho
A verdade eu ilumino
Mais bebê fica o meu rosto de menino.



segunda-feira, 31 de julho de 2017

PRIMEIRA PESSOA


Eu te ignoro porque eu te conheço
Eu traço os limites que eu mesmo esqueço
Me visto de verso, sinto do avesso
Me sinto tão perverso quando visto gesso
Devoro o sucesso antes do começo
E eu mesmo nem reparo quando eu mesmo cresço
Só quando paro, olho e me reconheço.

quinta-feira, 27 de julho de 2017

DEPENDE


Depende.
Depende do que?
Desprende.
Desprende de mim.
Esplêndido
Seria se:
Tivesse de pé,
Sem dedo nem ré,
Sem arre
Pendimento,
Pendência ou lamento,
Potência do momento,
Mas o processo é lento e...
Depende.

terça-feira, 2 de maio de 2017

PELE


Pele
Tapete tátil
Altamente volátil
De fácil acesso

Só te peço
Que pense antes do tato
Contato em processo
Que toque com cuidado

domingo, 2 de abril de 2017

TANGRAM


Quero discutir ideias abstratas
Sobre a pedra,
Concreta,
E já com ela armado
E com a mira certa
lançar uma hipótese
No vazio dos vasos
Para montar nos cacos
Um tangram de fatos
Ordenar acasos.

CIRCO NO DOMINGO

Desisventei minhas certezas
Derrubei as fortalezas
Atrasei as correntezas
Dos relógios

Montei o circo no domingo
Eu sou palhaço 
Eu sou ridículo
Que nem uma carta de amor

Eu vou entrar na gruta escura
Eu vou ser verbo e ser escuta
Mas, por favor, vem, me procura
Pra eu poder ser por você todo esse amor.

NÃO DESISTA DO SEU TESÃO


Não desista do seu tesão
Diz o pixo no coletivo
O princípio riscado à risca
O risco do risco impreciso

O destino é só condução
Pague o preço salgado, passagem
Mas não desista do seu tesão
Pra poder chegar no ponto: viagem.

quinta-feira, 30 de março de 2017

FILOSOFIA


Filho da maçã
E da serpente
Filho da vontade
E da semente
Da verdade plantada num canto da mente
Da semente do encanto que brota na gente
E nasce
Conhecimento
Pau pra toda obra
Cimento
Fogo que aquece mas queima
Conforto e desalento.
Mente prenha
Fogão a lenha
Cozinhando uma ideia, um dilema, um poema.
Pra raiar o sol                        
No nascer do dia
O filho
O fogo
O fim.
Filosofia.